Compartilhar nas Redes Sociais

O advogado previdenciário é o especialista em ações relativas à Previdência. Este profissional pode atuar para defender os interesses de seus clientes relativos ao INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) como em relação aos Regimes Próprios de Previdência, que são aqueles específicos do serviço público (União, Estados, Municípios e Distrito Federal).

Dessa forma a atuação pode ocorrer tanto na esfera administrativa, ou seja, diretamente no órgão previdenciário, como na Justiça. Isto é, se acaso o segurado não consegue o seu benefício diretamente no órgão previdenciário, lhe é assegurado o direito de ingressar com ação na Justiça para discutir o seu direito.

QUAIS AS VANTAGENS DE CONTRATAR UM ADVOGADO PREVIDENCIÁRIO?

A legislação previdenciária é muito complexa e constantemente é alterada pelo Governo. Por isso, dentro dos próprios órgãos previdenciários, por exemplo, no INSS, há controvérsia de como a lei deve ser interpretada.

Isto faz com que, inclusive, agências diversas do INSS reconheçam direitos de modo diverso. Além disso é muito comum o Poder Judiciário interpretar a lei de modo diferente do que faz o INSS.

Assim, é comum vermos o INSS negando aposentadorias que, logo após, são reconhecidas pela Justiça.

Para garantir e defender os interesses do INSS, o Governo conta com advogados especialistas que o defende. Entretanto, muitas vezes, os cidadãos não se consultam com advogados previdenciários e acabam ficando em posição de extrema desvantagem.

Diariamente vemos casos de aposentadorias em valor menor do que o devido, aposentadorias negadas, auxílios doenças indeferidos (mesmo quando não há condições de trabalho), entre diversas outras situações que trazem prejuízo aos cidadãos.

Ou seja, muitos casos poderiam ter um final diferente se houvesse a assessoria de um advogado especializado.

Frequentemente as pessoas pensam que o advogado previdenciário é capaz de acelerar ou fazer o processo passar na frente dos outros, mas, entretanto não é assim. Com a apresentação da documentação correta, nos prazos corretos e atendendo todos os requisitos da lei, o processo andará normalmente e dessa forma terá sua tramitação agilizada.

Contudo, jamais se pode esperar que o advogado previdenciário consiga “furar fila” ou algo do tipo. Isso seria ilegal.

Por outro lado é possível agilizar o processo através da concessão de tutela antecipada. No entanto este procedimento nem sempre é recomendável (em relação a este assunto temos uma postagem específica que você pode consultar AQUI).

COMO UM ADVOGADO PREVIDENCIÁRIO PODE TE AJUDAR?

A atuação do advogado previdenciário pode abranger muitas situações. Exemplificando…

  • pode te auxiliar no requerimento de benefícios perante o INSS pois o advogado saberá o melhor momento a fazer o seu pedido, o melhor benefício a ser requerido e os documentos corretos a apresentar;
  • pode te auxiliar na concessão judicial de benefícios. Mas o que é isso? A concessão judicial ocorre quando o INSS não concede a aposentadoria, pensão ou auxílio espontaneamente. Assim é necessário fazer uma ação judicial.
  • também pode te auxiliar a verificar se o seu benefício está sendo pago em valor correto. A maior parte dos benefícios possui erros de cálculo. Portanto, é importante fazer um recálculo do benefício e, caso detectado algum erro, fazer o pedido de revisão (importante destacar que há revisões em que o aumento do benefício é muito significativo).

EM RESUMO…

As aposentadorias, auxílios e pensões vão lhe acompanhar e ser sua fonte de renda por muitos anos. Portanto, qualquer erro na hora de requerer este benefício pode lhe causar prejuízos que se estenderão por muitos e muitos anos…

Se acaso você tiver alguma dúvida ou precisar de auxílio, clique na imagem abaixo.

advogado previdenciário
Consulte-nos!
ADVOGADO PREVIDENCIÁRIO: AÇÕES CONTRA O INSS

61 ideias sobre “ADVOGADO PREVIDENCIÁRIO: AÇÕES CONTRA O INSS

  • Avatar
    12 de julho de 2019 em 10:36
    Permalink

    Bom dia,

    Fiquei 10 meses sem registro em uma empresa que trabalhei e a mesma ainda existe, fiquei de 01/07/1988 a 30/12/1991 sendo que ….
    Fiquei registrado de 01/07/1988 a 31/05/1990 fiz um acordo na empresa na época e fui dispensado mas não parei de trabalhar e no acordo com o patrão era pra me registrar logo … mas somente após 10 meses em 01/03/1991 fui registrado novamente e me desliguei em 30/12/1991.
    Gostaria de algumas orientações , caso haja a possibilidade de contar este tempo de serviço para efeito de aposentadoria
    – Seria possível elaborar um documento e o proprietário assinar reconhecendo o tempo que trabalhei sem registro , ele seria prejudicado de alguma forma ?
    – Caso ele não queira assinar , teria que entrar judicialmente ?
    – Quais outras formas de conseguir esse tempo de serviço ?

    Obrigado, Ricardo

    Resposta
    • Denis Coltro
      11 de abril de 2020 em 19:58
      Permalink

      Olá!!

      Tem que entrar na justiça do trabalho para reconhecimento de vinculo.

      Se tem registro na sua carteira de trabalho, e eles não fizeram as contribuições ai será problemas dele e não seu.

      Mas precisa comprovar que recebia mais de 1 salário minimo.

      Resposta
    • Avatar
      10 de maio de 2020 em 18:09
      Permalink

      Boa noite! Me tira uma dúvida por favor, eu estou afastado da empresa por motivo de doença nde hérnia na coluna meu contrato está suspenso, e o inns me deu 6 meses mais eu não tenho a carência exigida de 12 meses. Gostaria de saber se tem algum órgão que poderia dar um suporte financeiramente pra mim. Ou é a empresa que tem que dar esse suporte pq o médico do trabalho me deu inapto para retornar ao trabalho, estou desesperadora com essa situação, quem poder me aconselhar eu agradeço muito.

      Resposta
      • Denis Coltro
        11 de maio de 2020 em 07:56
        Permalink

        Se o INSS deu o benefício a você tem os requisitos. Se sofreu um acidente do trabalho, ou adquiriu essa doença lá, não precisa ter contribuido os 12 meses. Agora, se for uma doença comum, ai sim precisa.

        Mas a empresa não pode te dispensar enquanto estiver com o INSS, então, poderá pedir prorrogação.

        Resposta
  • Avatar
    14 de agosto de 2019 em 10:09
    Permalink

    Gostei muito da bagagem de conhecimento que os senhores possuem no entanto, não obtive retorno das dúvidas solicitadas. E´possivel um contato por telefone ou whats???

    Resposta
    • Avatar
      29 de abril de 2020 em 14:58
      Permalink

      Eu ganhei a tutela do juiz para começar a pagar meu INSS meu auxílio de doença mas não começaram a pagar ainda o que que eu devo fazer

      Resposta
        • Avatar
          8 de maio de 2020 em 17:39
          Permalink

          Estava com auxílio acidentário 91 pela justiça acabou tendei o pedido de prorrogação no site do inss mais diz que ñ pode porque foi pela justiça como faco agora?

          Resposta
          • Denis Coltro
            11 de maio de 2020 em 07:53
            Permalink

            Bom dia!

            Nesse caso o INSS está errado, pois o pedido de prorrogação é feito de maneira como você fez. Agora você precisa entrar com outro processo judicial.

  • Avatar
    18 de agosto de 2019 em 21:46
    Permalink

    Lucas boa noite,
    Sou contribuinte do INSs há quase 29 anos, sendo que atualmente recolho como facultativo, pois fiquei desempregado e trabalho por conta.
    Tenho uma hérnia de disco lombar envolvendo l1l2, l2l3, l3l4, l4l5 e l5s1.
    Consegui auxílio doenca em dezembro de 2017, sendo prorrogado 2 vezes, em fevereiro de 2019 eles cessaram o benefício e não consigo mais renová-lo.
    De acordo com meu médico, não tem porque não renovarem, a situação é grave, a cirurgia é de alto risco, são necessárias 12 parafusos e não acabará com a dor, apenas diminuirá.
    Gostaria de saber se não é o caso de entrar na justiça para pedir o auxílio.
    Tenho uma advogada que diz, continue pagando que em setembro do ano que vem você faz 65 anos e aposenta por idade, bela situação que ela apresentou, aí perguntei como pago até lá, ela falou peça aos filhos.
    Dê uma sugestão do que fazer?

    Resposta
      • Avatar
        9 de setembro de 2019 em 14:49
        Permalink

        Boa tarde! Meu pai trabalhar 25 anos como vigilante, além de 3 anos em hospital em área de insalubridade, tem 53 anos. Ele pode transformar a aposentadoria especial em comun. Com esses tempos e idade ele pode se aposentar.

        Resposta
        • Denis Coltro
          11 de abril de 2020 em 19:56
          Permalink

          Olá!!!

          poderá sim, até o dia 13/11/2019, pois a Reforma da previdencia alterou isso.

          Resposta
      • Avatar
        7 de janeiro de 2020 em 14:52
        Permalink

        Estava afastada desde 2004 com o mesmo número do benefício…porém em Fevereiro de 2019 o INSS encerrou com o meu benefício e me deu outro número de benefício, em setembro de 2019 completei os 15 de afastamento e 56 anos de idade…
        Será que consigo aínda recuperar o meu primeiro benefício que o inss encerrou?
        Qual é a sua orientação
        Desde já agradeço

        Resposta
  • Avatar
    21 de setembro de 2019 em 06:06
    Permalink

    Oi tudo bem? Eu vivo na Españha, faz un año fue no Brasil, fue receber o dinheiro dp cip de 9 años, trabalhado com os meus chefes, para minha sorpreza eles ñao tinha pagado nem um mes, o problema é que ja pasou muitos años, ainda posso reclamar?perdi de cobrar 21 mil reais, aparte ñao posso aposentar, porque ñao chego com os años cotizados.

    Resposta
  • Avatar
    1 de outubro de 2019 em 20:47
    Permalink

    Fiquei afastada por 11anos intercalados por um retorno de 8meses(4 anos, intervalo de 11 meses, 7anos) por doença ocupacional (B91). Tenho 28 anos 9 meses de contribuição, 49 anos. Consigo aposentadoria especial de deficiente por tempo de contribuição, baseada na lei Complementar 142? Fui desligada dias depois da estabilidade da empresa na qual trabalhava. Como proceder?

    Resposta
  • Avatar
    23 de outubro de 2019 em 19:37
    Permalink

    Boa noite Dr
    Completei 60 anos em 22/04/2019, porém faltava um mês e 14 dias para concluir os 180 meses ou 15 anos. Dia 29/05/19 dei entrada pela internet. Dias depois, descobri que ainda faltavam empresas que não estavam incluídas e dei entrada, porém não possuo mais nada além dos registros. Em atendimento presencial, fui instruída a renunciar a estas empresas, comecar a receber e depois reclamar. No entanto, minha aposentadoria foi indeferida sob alegação que quando dei entrada não tinha o direito

    Resposta
  • Avatar
    23 de outubro de 2019 em 22:59
    Permalink

    Boa noite dr. Na operação pente fino de junho 2018 o perito cessou a aposentadoria por invalidez de minha irmã, mesmo com toda documentação atualizada confirmado a incapacidade dela, ele nem olhou os relatórios. Entramos na justiça em novembro de 2018. O juiz pediu um curador, em julho 2019 e estamos aguardando… Gostaria de saber do senhor quais as reais possibilidades de restabelecimento da aposentadoria dela. Obrigada

    Resposta
  • Avatar
    24 de outubro de 2019 em 18:43
    Permalink

    Boa tarde sou contribuinte ao nó nss tem 26 anos sou motorista profissional tenho direito a posentadoria

    Resposta
    • Denis Coltro
      11 de abril de 2020 em 20:08
      Permalink

      olá!

      o motorista que tem direito a especial é de caminhão e ônibus e demais cargas perigosas.

      Se você tiver o PPP pode ser que consiga essa aposentadoria.

      Resposta
  • Avatar
    29 de outubro de 2019 em 16:43
    Permalink

    Assunto: reciprocidade

    Tenho 2 matrículas com servidor público, acumuláveis. Pedi exoneração de uma terceira matrícula com 30 anos de magistério. Posso averbar esse tempo junto ao INSS para uma terceira aposentadoria, onde tenho um pequeno tempo de contribuição? Tenho 60 anos.

    Resposta
  • Avatar
    4 de novembro de 2019 em 11:34
    Permalink

    Sofri um acidente em nov. de 2008 o qual tive rompimento dos ligamentos e um e o surgimento de uma doença cronica degenerativa bilateral (keiock).ela é causada pela necrose do escafo do semiluan,fiquei em beneficio de 2008 ate 2010,quando o INSS resolveu interrompe-lo,entrei na justiça federal e antes que saisse a sentença o INSS se antecipou me propondo um acordo no qual eu perderia 10/ do retido e restabelecia o meu beneficio.Determinou apenas que eu cumprisse certas determinações como por exemplo atender sempre que eu fosse solicitado , apresentasse sempre o tratamento que deveria ter a continuidade durante os anos sequentes 2012 2013 sempre compareci conforme determinado e sempre o INSS solicitava que eu entregasse um questionário ao RH da empresa sempre cumprindo as determinações sempre fazia questão de protocolar todos os documentos entregues.Para minha surpresa fui convocado em 2014 porem o procedimento havia mudado eu deveria comparecer a empresa para a realização de de um curso para reabilitação,mais uma vez atendi a solicitação do INSS
    Compareci apresentei-me ao gestor: Sr paulo munido de toda documentação referente ao acordo judicial os laudos médicos e pericial o qual a perita judicial proibia esforço com os membros superiores
    diante da documentação apresentada ele achou melhor ligar para gerencia regional que solicitou a marcação de uma consulta com a médica do trabalho da Empresa.que encontrava-se de férias a solicitação para a consulta eu tive que ficar aguardando para o exame.Durante esse aguardo eu fui mais uma vez convocado para comparecer a setor CRP do INSS e fui recepcionado pela funcionaria Marcela que esbanjando ameaças de que eu havia me negado a participar do curso de reabilitação e que eu teria o beneficio suspenso caso eu não apresentasse um recurso dentro do prazo de dez dias;prontamente executei dentro do prazo mais mesmo assim tive o beneficio suspenso sem ao menos ter passado por nenhuma pericia Médica com determina a lei. Entrei na justiça Federal fui avaliado por um Ortopedista que concluiu que eu tenho somente 50/ de movimentos e que eu poderia retomar minhas atividades laborativas mesmo sendo essa o comprometimento de 80/de digitalização .A partir dai foi so aborrecimento tomei um abandono de emprego tive o plano suspenço e a interrupção do tratamento continuo sem beneficio acabei pedido demissão enfim sem conseguir resolver nada.

    Resposta
  • Avatar
    4 de novembro de 2019 em 23:44
    Permalink

    Boa noite..sou tec do trabalho ..estive de aulxilio doença por 2 meses por lesão no joelho perda de cartilagem..logo depois senti dores no quadril onde a um desgaste ..o reumatologista está alegando que estou com artrite rematode .e foi negado o pedido tenho que voltar a trabalhar.com muitas dores.

    Resposta
  • Avatar
    22 de novembro de 2019 em 13:47
    Permalink

    Boa tarde Lucas
    Completo 25 anos de contribuição dia 23/11/2019 tudo insalubre e tenho um ano de estágio em mina subterrânea. Ainda consigo aposentar especial ou entra na transição. Tenho 44 anos.

    Resposta
    • Denis Coltro
      11 de abril de 2020 em 20:06
      Permalink

      Boa noite Gilberto!

      Pode ser que sim, desde que consiga os PPP. Mas precisa ser visto o seu CNIS completo.

      Resposta
  • Avatar
    27 de novembro de 2019 em 13:32
    Permalink

    Bom dia meu sobrinho e um bebê de tranqueo e já deu entrada no INSS e eles estão enrolando pra liberar o benefício e a mãe e incapacitada de trabalhar pois tem que ficar com ele 24hrs por dia

    Resposta
  • Avatar
    28 de novembro de 2019 em 12:50
    Permalink

    Bom dia!
    Meu pai se aposentou a 20 anos atrás com 37 de INSS pagos e continuou trabalhando.
    A aproximadamente 5 anos ele fez a desaponsentaroria e aposentou novamente.
    Agora recebemos recentemente uma carta do INSS afirmando que o benefício voltará a ser o que era na primeira aposentadoria e vai ter que devolver o que foi pago .
    Não achamos isso correto sendo que ele pagou depois de aposentado mais 20 anos de INSS .
    Pergunto temos como entrar com uma ação para contra está medida do INSS?

    Resposta
  • Avatar
    5 de dezembro de 2019 em 16:22
    Permalink

    Boa tarde, gostaria de uma orientação, fui negado o benefício do meu filho. Que atualmente tem o Cid f83. Solicitei o BPC. Foi negado entrei com recurso. Quero orientação caso o INSS possa negar novamente.

    Resposta
  • Avatar
    12 de dezembro de 2019 em 17:03
    Permalink

    Minhas maiores contribuições foram antes de 1994,sendo assim me aposentei com 1 salario minimo. quero saber sobre a possibilidade de contar
    com essas contribuições para uma revizão.
    idalinadiias@gmail .com(favor resp. pelo site,para possivel conctatopessoal).

    Resposta
  • Avatar
    12 de dezembro de 2019 em 17:07
    Permalink

    Obrigada,seria aguarda algum tipo de reguamentação
    Não consegui entender se esta valendo ou não.

    Resposta
  • Avatar
    13 de dezembro de 2019 em 13:20
    Permalink

    ola. eu trabalhei 46 anos paguei toda minha aposentadoria durante estes anos, abrir um processo no sindicato metalúrgico mais de 3 anos esperando porque eu tinha direito de receber meus atrasado devido o que eu paguei tinha direito de receber o teto máximo, mais foi para senador e perdemos de 7 x 5 o senhor deve saber não faz muito tempo.agora eles estão falando quem tinha processo contra o inss vai receber seus direito eu tinha de receber mais 136 mil reais conforme advogado do sindicato falo.mais depois que os senadores reprovo 7 x 5 eu deixe de pagar o sindicato para mim não servia mais nada.agora lhe pergunto tenho direito da revisão depois que o senado reprovou. meu no e adilson matheus rubio.moro em são bernardo do campo.fone 9.70480411.obrigado.

    Resposta
  • Avatar
    2 de janeiro de 2020 em 09:01
    Permalink

    Bom dia
    Tenho 53 anos mais de 30 anos de contribuição reconhecido pelo Inss mesmo assim minha aposentadoria foi recusada. Posso entrar com processo? Tenho um total de 84 pontos pela regra antiga

    Resposta
  • Avatar
    4 de janeiro de 2020 em 17:04
    Permalink

    Olá Dr. Marco Antonio
    Trabalhei por 14 anos no serviço público federal e onde contribuir todo esse período com o INSS ! Gostaria de saber se tenho direito de requerer aposentadoria por tempo de serviço?

    Resposta
  • Avatar
    8 de janeiro de 2020 em 16:26
    Permalink

    Como faço pra resolver meu problema
    06/12 /18 Foi negado pedido fiquei sem receber ate me chamarem de volta pro trabalho deu indeferido dezembro ate março nao recebi nada entrei com recuso ate agora nada ja faz 2 anos como resolvo

    Resposta
  • Avatar
    14 de janeiro de 2020 em 21:31
    Permalink

    Eu vou fazer 61 anos em abril não tenho o olho esquerdo tentei aposentar negaram desse que eu não era deficiente isto foi em 2011 nuca mais dei entrada será que eu tenho chance de aposentar agora

    Resposta
    • Denis Coltro
      11 de abril de 2020 em 20:00
      Permalink

      Olá!!!

      precisa comprovar seus requisitos, para isso, precisa ser analisado seu CNIS.

      Resposta
  • Avatar
    15 de fevereiro de 2020 em 08:29
    Permalink

    Bom dia. Sou aposentado por invalidez sofri um AVC em 2007 tenho sequelas e o INSS me colocou com Salário de recuperação e eu mesmo entrei com recurso dentro da data limite e meu processo ainda não foi julgado ( todas exigências cumpridas ) a minha dúvida é : Eu tenho que voltar a contribuir com o INSS após o fim do Salário de recuperação ? Ou só após a conclusão do processo?
    Protocolo Recebido no INSS
    29/10/2018 10:06:01

    Resposta
    • Denis Coltro
      11 de abril de 2020 em 19:59
      Permalink

      Olá!!

      Precisa voltar a contribuir sim, para que esse tempo de aposentadoria conte no seu tempo de contribuição.

      Resposta
  • Avatar
    20 de abril de 2020 em 16:12
    Permalink

    Boa tarde Minha imã nasceu Surda e Muda mas nos deu entrada no Inss faz 1 ano atras e conseguimos aposentar ela e recebeu retroativo equivalente a 12 meses, Hoje ela tem 32 anos de idade gostaria de saber se tem alguma lei que podemos entrar contra o inss pra receber estes anos pra trás, como ela já nasceu com estas deficiência.
    Sera que tem uma lei que obrigue o inss paguar os atrasado desde que nasceu ?

    obrigado pela atenção

    Resposta
  • Avatar
    7 de maio de 2020 em 12:22
    Permalink

    Boa tarde, meu nome é Flávio estou afastado do trabalho desde 2015 com Cid F20 o INSS me deu alta, após isso entrei na justiça com a defensoria pública o perito disse que tenho o problema de saúde, mas estou apto a trabalhar, mas os médicos que faço acompanhamento não deixam e o médico do trabalho também não, o que posso fazer?

    Resposta
    • Denis Coltro
      11 de maio de 2020 em 07:54
      Permalink

      Bom dia! Nesse caso, se for judicial, precisa conversar com seu advogado.

      Se for diretamente no INSS, tente fazer perícia em outra agencia do INSS.

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *