Compartilhar nas Redes Sociais

É possível transformar a Aposentadoria Comum em Especial? Sim! São comuns os casos de quem trabalha com insalubridade ou periculosidade, mas não consegue a aposentadoria especial, mas ainda dá para conseguir a especial mesmo após começar a receber a aposentadoria comum.

É frequente nos depararmos com casos de aposentadoria comum que, no entanto, deveria ser uma aposentadoria especial. Assim, com o objetivo de alterar a aposentadoria comum em especial, é possível demonstrar ao INSS a existência deste direito e, consequentemente, pedir a aposentadoria especial.

MAS, AFINAL, QUAIS AS VANTAGENS DA APOSENTADORIA ESPECIAL

A aposentadoria especial possui duas grandes vantagens em relação à aposentadoria comum (ou por tempo de contribuição).

(o texto continua após o vídeo)

Primeiramente, o valor da aposentadoria especial é maior. Isso ocorre pois na aposentadoria especial não existe o fator previdenciário (que é um redutor do valor da aposentadoria). De fato em muitos casos essa redução chega a ser de quase 50%. Ou seja, há casos que, após modificar a aposentadoria comum em especial, o valor da renda do aposentado chega a dobrar.

Em seguida, outra vantagem, é o tempo de aposentadoria. Para que se proteja o trabalhador que expôs sua vida ou saúde, a aposentadoria especial exige menos tempo de trabalho – normalmente a aposentadoria ocorre com 25 anos de trabalho

Certamente que no caso de quem já recebe aposentadoria comum, ao transformar a sua aposentadoria comum em especial, não tem como vantagem a redução do tempo de aposentadoria, pois os anos de trabalho já foram prestados. No entanto, possuem sim a grande vantagem de passar a receber uma aposentadoria melhor.

E AS DIFERENÇAS QUE FICARAM PARA TRÁS?

Decerto que quando se pede a modificação da aposentadoria comum em especial, o aposentado passa a ter uma renda maior, decorrente dessa alteração de benefício.

Todavia, há valores que ficaram para trás, ou seja, e aqueles valores da aposentadoria especial que deveriam ter sido recebidos no passado e, no entanto, não foram recebidos em razão do pagamento apenas da aposentadoria comum?

Ou seja, é possível pleitear todas as diferenças dos últimos cinco anos. Só para ilustrar: se uma aposentadoria comum é de R$ 2.000,00 e é transformada em uma aposentadoria especial de R$ 3.000,00, além de receber o valor novo, o aposentado tem direito de receber a diferença de R$ 1.000,00 por mês, dos últimos cinco anos.

Contudo, há quem entenda que se acaso a documentação que comprova o tempo especial ainda não foi apresentada no INSS, o aposentado passa a ter direito à essas diferenças apenas a partir do momento em que os documentos foram apresentados.

Inegavelmente não concordamos com o entendimento. O que dá o direito à aposentadoria especial não é a apresentação correta da documentação, mas sim o efetivo trabalho em condições insalubres e perigosas.

Ademais, quando o trabalhador dá entrada na aposentadoria, o INSS é obrigado a indicar a documentação correta a ser apresentada.

QUAIS TRABALHADORES TEM DIREITO À APOSENTADORIA ESPECIAL

Trabalhadores expostos a condições insalubres ou perigosas são os principais candidatos a terem direito à aposentadoria especial.

Só para exemplificar os profissionais que possuem esse direito: enfermeiros, médicos, médicos veterinários, técnicos de raio-X, dentistas, vigias, vigilantes, trabalhadores expostos a eletricidade com tensão superior a 250 volts, motoboys, motoristas de cargas perigosas, garis, trabalhadores expostos a níveis de ruídos acima de 85 decibéis (mesmo que tenham utilizado protetor auricular), trabalhadores expostos a agentes químicos, entre outros.

O TRABALHADOR QUE SE APOSENTOU COMUM E NÃO POSSUI 25 ANOS DE TRABALHO ESPECIAL É POSSÍVEL AGREGAR O TEMPO TRABALHADO NESSAS CONDIÇÕES

Ainda há o caso daqueles que tiveram atividade especial mas não atingiram 25 anos nessas condições.

Portanto, nestes casos existem direitos a serem pedidos e essa situação aumentará o valor da aposentadoria.

Quando o trabalhador não atinge 25 anos de trabalho especial, não pode fazer a alteração de aposentadoria comum em especial. Porém, o tempo trabalhado nessas condições tem acréscimo de 40% no caso dos homens e de 20% no caso das mulheres.

Por exemplo: um homem que trabalhou 20 anos com carga perigosa, pode fazer a conversão de 40% e atingir 28 anos. Se acaso ele também tiver trabalhado em outra atividade comum por 7 anos, poderá ser feita a soma de 28 anos mais 7 anos e, assim, completar 35 anos. Portanto, será possível aposentar.

Em seguida temos outro exemplo: um aposentado (homem) com 20 anos na área hospitalar e 15 anos em atividade comum como vendedor. Ele se aposentou comum, pois atingiu 35 anos de contribuição.

Entretanto, a aposentadoria pode aumentar. Em virtude de haver conversão do tempo trabalhado em área hospitalar, ele terá 20 anos mais 40% e atingirá 28 anos. Com os outros 15 anos trabalhados como vendedor, terá 43 anos para a aposentadoria.

Assim poderá ser considerado que ele não tinha apenas 35 anos de tempo na data da sua aposentadoria e sim de 43 anos. Apesar de continuar com a aposentadoria comum (pois não atingiu os 25 anos de trabalho especial) poderá ter o valor do seu benefício majorado.

Se acaso você trabalhou algum período em atividade prejudicial à saúde, por menor que tenha sido o tempo desta atividade, é possível agregar esse tempo no cálculo do seu benefício.

E COMO FAZER A PROVA DO TEMPO ESPECIAL?

O principal meio de comprovar o tempo especial é o PPP – Perfil Profissiográfico Previdenciário.  Este documento é um formulário padrão do INSS que o empregador preenche e informa as condições de trabalho de seu funcionário.

Com ele o INSS fica ciente das condições especiais de trabalho e então reconhece o direito ao tempo especial.

Todavia, muitas vezes, não é possível conseguir esse documento, pois a empresa já pode ter fechado, por exemplo. Se este for o seu caso, recomendamos a leitura da nossa postagem sobre esse assunto: A EMPRESA FECHOU E NÃO CONSIGO O PPP. E agora, o que fazer?

EM RESUMO…

Se acaso você aposentou comum e trabalhou em condições especiais (com periculosidade ou insalubridade) pode agregar esse tempo na sua aposentadoria. Caso esse tempo tenha sido igual ou maior do que 25 anos, poderá transformar sua aposentadoria comum em especial. Caso tenha sido menos do que 25 anos, não será possível alterar a sua aposentadoria comum em especial, mas ainda assim poderá ser feita a revisão do valor da aposentadoria.

Se você tiver alguma dúvida em relação ao seu caso, acesse o link abaixo e entre em contato conosco para que possamos lhe auxiliar.

insalubridade na reforma
Consulte-nos!
Inscreva-se no nosso canal do Youtube para saber mais sobre os seus direitos
TRANSFORMAR A APOSENTADORIA COMUM EM ESPECIAL: COMO FAZER?

53 ideias sobre “TRANSFORMAR A APOSENTADORIA COMUM EM ESPECIAL: COMO FAZER?

  • Avatar
    18 de abril de 2019 em 11:14
    Permalink

    trabalho na área de vigilante a 22 anos tenho mas 08 anos em outras atividades quantos anos falta para mim aposentar ?

    Resposta
    • Avatar
      19 de abril de 2019 em 15:29
      Permalink

      Olá José Elio!
      Se você conseguir comprovar os 22 anos de vigilância, é possível pedir a sua aposentadoria agora. Entretanto, vai haver a incidência de fator previdenciário. Quais são as atividades que você desenvolveu nos 8 anos?
      Se quiser nos passar mais informações suas, peço que informe através do link abaixo, em que haverá maior grau de sigilo:
      http://lucastubino.rds.land/consultaprevidenciaria
      Obrigado!
      Boa sorte!

      Resposta
      • Avatar
        2 de maio de 2019 em 08:41
        Permalink

        tenho 28 anos e 9 meses de carteirA ASSINADA DENTRO ESTES ANOS , TENHO 4 ANOS DE INSALUBRIDADE COMO SECRETARIA E TENHO ATE PPP JA PRONTO. GOSTARIA DE SABER SE POSSO ENTRAR JA COM O PEDIDO DE APOSENTADORIA POR CONTRIBUIÇAO E COMO É CONTADO ESTES 4 ANOS DE INSALUBRE?

        Resposta
        • Avatar
          3 de maio de 2019 em 00:31
          Permalink

          Olá Mara!
          Você ainda não pode dar entrada, no entanto o seu pedido está próximo.
          No seu caso você terá um tempo adicional de +20% sobre o tempo especial. Assim, se trabalhou 4 anos em condições especiais, terá mais 0,8 anos. Somados aos 28,75 anos que já possui, tem 29,65 anos, ou seja, aproximadamente 29 anos e 7/8 meses.
          Você precisa atingir os 30 anos de tempo!
          Torça para a Reforma não chegar antes.
          Caso consiga chegar antes nos 30 anos, poderá fazer seu pedido de aposentadoria.
          Se tiver interesse, por favor, preencha o formulário que pode ser acessado no link a seguir para que possamos analisar o seu caso (nele conseguirmos analisar seu caso com maior grau de sigilo):
          http://lucastubino.rds.land/consultaprevidenciaria
          Obrigado!

          Resposta
        • Avatar
          4 de julho de 2019 em 22:16
          Permalink

          Tenho 48 anos aposentei por tempo de contribuição ,trabalhei 20 anos com insalubre, (9anos em fábrica e 11 anos na área da saúde) eu posso passar para aposentaria especial quando cocompletar 25 anos de insalubre já que contínuo trabalhado com condições insalubre na area da saude ?obridada

          Resposta
          • Denis Coltro
            5 de março de 2020 em 18:03
            Permalink

            Olá, tudo bem?

            Que prazer receber sua dúvida.

            Bom, a aposentadoria especial que me perguntou somente será concedida com as contribuições por pelo menos 25 anos.

            Deve ser 25 anos contribuídos com a exposição a insalubridade ou periculosidade.

            Se você não contribuiu esse tempo todo, e tem trabalhos comuns, pode converter de especial para comum até 13/11/2019.

            O fator de conversão será para o homem 40% e para a mulher 20%.

            Agora com a Reforma tem regras de transição:

            Art. 21. O segurado ou o servidor público federal que se tenha filiado ao Regime Geral de Previdência Social ou ingressado no serviço público em cargo efetivo até a data de entrada em vigor desta Emenda Constitucional cujas atividades tenham sido exercidas com efetiva exposição a agentes químicos, físicos e biológicos prejudiciais à saúde, ou associação desses agentes, vedada a caracterização por categoria profissional ou ocupação, desde que cumpridos, no caso do servidor, o tempo mínimo de 20 (vinte) anos de efetivo exercício no serviço público e de 5 (cinco) anos no cargo efetivo em que for concedida a aposentadoria, na forma dos arts. 57 e 58 da Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991, poderão aposentar-se quando o total da soma resultante da sua idade e do tempo de contribuição e o tempo de efetiva exposição forem, respectivamente, de:
            I – 66 (sessenta e seis) pontos e 15 (quinze) anos de efetiva exposição;
            II – 76 (setenta e seis) pontos e 20 (vinte) anos de efetiva exposição; e
            III – 86 (oitenta e seis) pontos e 25 (vinte e cinco) anos de efetiva exposição.

            Sugiro que busque o PPP no RH do local onde trabalha, para que consiga comprovar o tempo de trabalho com a insalubridade/periculosidade.

        • Avatar
          16 de agosto de 2019 em 02:28
          Permalink

          Queria saber sou tec de enfermagem entrei com recurso e me deram 32 anos trabalhado mais antes desse recurso dei entrada na minha aposentadoria mais o inss negou um mes antes de sai o recurso o inss me concedeu a aposentadoria mais a proporcional e tenho direito a especial e agora o que faço porque dei entrada na revisao do meu beneficio e foi negado

          Resposta
          • Denis Coltro
            5 de março de 2020 em 18:03
            Permalink

            Olá, tudo bem?

            Que prazer receber sua dúvida.

            Bom, a aposentadoria especial que me perguntou somente será concedida com as contribuições por pelo menos 25 anos.

            Deve ser 25 anos contribuídos com a exposição a insalubridade ou periculosidade.

            Se você não contribuiu esse tempo todo, e tem trabalhos comuns, pode converter de especial para comum até 13/11/2019.

            O fator de conversão será para o homem 40% e para a mulher 20%.

            Agora com a Reforma tem regras de transição:

            Art. 21. O segurado ou o servidor público federal que se tenha filiado ao Regime Geral de Previdência Social ou ingressado no serviço público em cargo efetivo até a data de entrada em vigor desta Emenda Constitucional cujas atividades tenham sido exercidas com efetiva exposição a agentes químicos, físicos e biológicos prejudiciais à saúde, ou associação desses agentes, vedada a caracterização por categoria profissional ou ocupação, desde que cumpridos, no caso do servidor, o tempo mínimo de 20 (vinte) anos de efetivo exercício no serviço público e de 5 (cinco) anos no cargo efetivo em que for concedida a aposentadoria, na forma dos arts. 57 e 58 da Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991, poderão aposentar-se quando o total da soma resultante da sua idade e do tempo de contribuição e o tempo de efetiva exposição forem, respectivamente, de:
            I – 66 (sessenta e seis) pontos e 15 (quinze) anos de efetiva exposição;
            II – 76 (setenta e seis) pontos e 20 (vinte) anos de efetiva exposição; e
            III – 86 (oitenta e seis) pontos e 25 (vinte e cinco) anos de efetiva exposição.

            Sugiro que busque o PPP no RH do local onde trabalha, para que consiga comprovar o tempo de trabalho com a insalubridade/periculosidade.

      • Avatar
        29 de maio de 2019 em 22:53
        Permalink

        O que pode acontecer se eu não entregar a Carteira de.Trabalho para dar baixa quando o empregador solicita a ddar baixa em funcionario contratado

        Resposta
      • Avatar
        19 de dezembro de 2019 em 08:49
        Permalink

        Oitenho 22anos trabalhando técnicas de enfermagem estoudesempregada 2anos e no mesmo tempo de liçença medica da p eu aposentar na especial

        Resposta
        • Denis Coltro
          5 de março de 2020 em 17:59
          Permalink

          Olá, tudo bem?

          Que prazer receber sua dúvida.

          Bom, a aposentadoria especial que me perguntou somente será concedida com as contribuições por pelo menos 25 anos.

          Deve ser 25 anos contribuídos com a exposição a insalubridade ou periculosidade.

          Se você não contribuiu esse tempo todo, e tem trabalhos comuns, pode converter de especial para comum até 13/11/2019.

          O fator de conversão será para o homem 40% e para a mulher 20%.

          Agora com a Reforma tem regras de transição:

          Art. 21. O segurado ou o servidor público federal que se tenha filiado ao Regime Geral de Previdência Social ou ingressado no serviço público em cargo efetivo até a data de entrada em vigor desta Emenda Constitucional cujas atividades tenham sido exercidas com efetiva exposição a agentes químicos, físicos e biológicos prejudiciais à saúde, ou associação desses agentes, vedada a caracterização por categoria profissional ou ocupação, desde que cumpridos, no caso do servidor, o tempo mínimo de 20 (vinte) anos de efetivo exercício no serviço público e de 5 (cinco) anos no cargo efetivo em que for concedida a aposentadoria, na forma dos arts. 57 e 58 da Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991, poderão aposentar-se quando o total da soma resultante da sua idade e do tempo de contribuição e o tempo de efetiva exposição forem, respectivamente, de:
          I – 66 (sessenta e seis) pontos e 15 (quinze) anos de efetiva exposição;
          II – 76 (setenta e seis) pontos e 20 (vinte) anos de efetiva exposição; e
          III – 86 (oitenta e seis) pontos e 25 (vinte e cinco) anos de efetiva exposição.

          Sugiro que busque o PPP no RH do local onde trabalha, para que consiga comprovar o tempo de trabalho com a insalubridade/periculosidade.

          Resposta
    • Avatar
      10 de setembro de 2019 em 21:58
      Permalink

      Trabalhei 17 anos nos Correios, sendo 11 Como carteiro, esses tempos de carteiro, exposto ao sol e chuva e peso acima de 20 kilos, da direito ao pop.

      Resposta
      • Denis Coltro
        5 de março de 2020 em 18:02
        Permalink

        Olá, tudo bem?

        Que prazer receber sua dúvida.

        Bom, a aposentadoria especial que me perguntou somente será concedida com as contribuições por pelo menos 25 anos.

        Deve ser 25 anos contribuídos com a exposição a insalubridade ou periculosidade.

        Se você não contribuiu esse tempo todo, e tem trabalhos comuns, pode converter de especial para comum até 13/11/2019.

        O fator de conversão será para o homem 40% e para a mulher 20%.

        Agora com a Reforma tem regras de transição:

        Art. 21. O segurado ou o servidor público federal que se tenha filiado ao Regime Geral de Previdência Social ou ingressado no serviço público em cargo efetivo até a data de entrada em vigor desta Emenda Constitucional cujas atividades tenham sido exercidas com efetiva exposição a agentes químicos, físicos e biológicos prejudiciais à saúde, ou associação desses agentes, vedada a caracterização por categoria profissional ou ocupação, desde que cumpridos, no caso do servidor, o tempo mínimo de 20 (vinte) anos de efetivo exercício no serviço público e de 5 (cinco) anos no cargo efetivo em que for concedida a aposentadoria, na forma dos arts. 57 e 58 da Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991, poderão aposentar-se quando o total da soma resultante da sua idade e do tempo de contribuição e o tempo de efetiva exposição forem, respectivamente, de:
        I – 66 (sessenta e seis) pontos e 15 (quinze) anos de efetiva exposição;
        II – 76 (setenta e seis) pontos e 20 (vinte) anos de efetiva exposição; e
        III – 86 (oitenta e seis) pontos e 25 (vinte e cinco) anos de efetiva exposição.

        Sugiro que busque o PPP no RH do local onde trabalha, para que consiga comprovar o tempo de trabalho com a insalubridade/periculosidade.

        Resposta
    • Avatar
      25 de setembro de 2019 em 21:53
      Permalink

      Comecei como motorista autônomo em 1989 até 1992 de 92 até 2002 trabalhei com motorista empregado e de 2002 até 2019 estou com autônomo sempre com caminhão com tanque suplementar com 600 litros de combustível e estou ouvindo pouco devido barulho do caminhão e nunca tive férias em 30 anos de profissão tenho muitas dúvidas sobre as transportadoras que não recolheram meu INSS…

      Resposta
      • Denis Coltro
        5 de março de 2020 em 18:02
        Permalink

        Olá, tudo bem?

        Que prazer receber sua dúvida.

        Bom, a aposentadoria especial que me perguntou somente será concedida com as contribuições por pelo menos 25 anos.

        Deve ser 25 anos contribuídos com a exposição a insalubridade ou periculosidade.

        Se você não contribuiu esse tempo todo, e tem trabalhos comuns, pode converter de especial para comum até 13/11/2019.

        O fator de conversão será para o homem 40% e para a mulher 20%.

        Agora com a Reforma tem regras de transição:

        Art. 21. O segurado ou o servidor público federal que se tenha filiado ao Regime Geral de Previdência Social ou ingressado no serviço público em cargo efetivo até a data de entrada em vigor desta Emenda Constitucional cujas atividades tenham sido exercidas com efetiva exposição a agentes químicos, físicos e biológicos prejudiciais à saúde, ou associação desses agentes, vedada a caracterização por categoria profissional ou ocupação, desde que cumpridos, no caso do servidor, o tempo mínimo de 20 (vinte) anos de efetivo exercício no serviço público e de 5 (cinco) anos no cargo efetivo em que for concedida a aposentadoria, na forma dos arts. 57 e 58 da Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991, poderão aposentar-se quando o total da soma resultante da sua idade e do tempo de contribuição e o tempo de efetiva exposição forem, respectivamente, de:
        I – 66 (sessenta e seis) pontos e 15 (quinze) anos de efetiva exposição;
        II – 76 (setenta e seis) pontos e 20 (vinte) anos de efetiva exposição; e
        III – 86 (oitenta e seis) pontos e 25 (vinte e cinco) anos de efetiva exposição.

        Sugiro que busque o PPP no RH do local onde trabalha, para que consiga comprovar o tempo de trabalho com a insalubridade/periculosidade.

        Resposta
    • Avatar
      17 de dezembro de 2019 em 10:23
      Permalink

      Trabalho na área da vigilância à 25 anos (continuo no trabalhando no ramo), já tenho aposentadoria comum, e gostaria de saber se posso pedir revisão e se não vou parar de receber o benefício enquanto o solicitado?

      Resposta
      • Denis Coltro
        5 de março de 2020 em 17:59
        Permalink

        Olá, tudo bem?

        Que prazer receber sua dúvida.

        Bom, a aposentadoria especial que me perguntou somente será concedida com as contribuições por pelo menos 25 anos.

        Deve ser 25 anos contribuídos com a exposição a insalubridade ou periculosidade.

        Se você não contribuiu esse tempo todo, e tem trabalhos comuns, pode converter de especial para comum até 13/11/2019.

        O fator de conversão será para o homem 40% e para a mulher 20%.

        Agora com a Reforma tem regras de transição:

        Art. 21. O segurado ou o servidor público federal que se tenha filiado ao Regime Geral de Previdência Social ou ingressado no serviço público em cargo efetivo até a data de entrada em vigor desta Emenda Constitucional cujas atividades tenham sido exercidas com efetiva exposição a agentes químicos, físicos e biológicos prejudiciais à saúde, ou associação desses agentes, vedada a caracterização por categoria profissional ou ocupação, desde que cumpridos, no caso do servidor, o tempo mínimo de 20 (vinte) anos de efetivo exercício no serviço público e de 5 (cinco) anos no cargo efetivo em que for concedida a aposentadoria, na forma dos arts. 57 e 58 da Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991, poderão aposentar-se quando o total da soma resultante da sua idade e do tempo de contribuição e o tempo de efetiva exposição forem, respectivamente, de:
        I – 66 (sessenta e seis) pontos e 15 (quinze) anos de efetiva exposição;
        II – 76 (setenta e seis) pontos e 20 (vinte) anos de efetiva exposição; e
        III – 86 (oitenta e seis) pontos e 25 (vinte e cinco) anos de efetiva exposição.

        Sugiro que busque o PPP no RH do local onde trabalha, para que consiga comprovar o tempo de trabalho com a insalubridade/periculosidade.

        Resposta
  • Avatar
    26 de abril de 2019 em 18:05
    Permalink

    Essa reforma da previdência deveria era tirar as mordomias dos políticos e grandes empresários, não os direitos dos trabalhadores , sou Orlando moro em Aracaju sergipe

    Resposta
  • Avatar
    26 de abril de 2019 em 18:11
    Permalink

    Nos contribuintes só temos direito de ter uma aposentadoria por enquanto , os políticos é parentes se aposentar ate tres vezes ou mais , porque não tiram esses beneficios deles, eles nem deveriam ter direito a aposentadoria que nem com a previdência eles contribui

    Resposta
    • Avatar
      14 de janeiro de 2020 em 21:36
      Permalink

      Ja me aposentei tem mais ou menos 1 ano e meio,mas tenho colegas mais novos que eu com menos tempo de serviço e com PPP menor que o meu que consegui especial foi recusado 3 anos meu e de colega a empresa que não foi recusado gostaria de rever isso .
      Obrigado!

      Resposta
      • Denis Coltro
        5 de março de 2020 em 17:58
        Permalink

        Olá, tudo bem?

        Que prazer receber sua dúvida.

        Bom, a aposentadoria especial que me perguntou somente será concedida com as contribuições por pelo menos 25 anos.

        Deve ser 25 anos contribuídos com a exposição a insalubridade ou periculosidade.

        Se você não contribuiu esse tempo todo, e tem trabalhos comuns, pode converter de especial para comum até 13/11/2019.

        O fator de conversão será para o homem 40% e para a mulher 20%.

        Agora com a Reforma tem regras de transição:

        Art. 21. O segurado ou o servidor público federal que se tenha filiado ao Regime Geral de Previdência Social ou ingressado no serviço público em cargo efetivo até a data de entrada em vigor desta Emenda Constitucional cujas atividades tenham sido exercidas com efetiva exposição a agentes químicos, físicos e biológicos prejudiciais à saúde, ou associação desses agentes, vedada a caracterização por categoria profissional ou ocupação, desde que cumpridos, no caso do servidor, o tempo mínimo de 20 (vinte) anos de efetivo exercício no serviço público e de 5 (cinco) anos no cargo efetivo em que for concedida a aposentadoria, na forma dos arts. 57 e 58 da Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991, poderão aposentar-se quando o total da soma resultante da sua idade e do tempo de contribuição e o tempo de efetiva exposição forem, respectivamente, de:
        I – 66 (sessenta e seis) pontos e 15 (quinze) anos de efetiva exposição;
        II – 76 (setenta e seis) pontos e 20 (vinte) anos de efetiva exposição; e
        III – 86 (oitenta e seis) pontos e 25 (vinte e cinco) anos de efetiva exposição.

        Sugiro que busque o PPP no RH do local onde trabalha, para que consiga comprovar o tempo de trabalho com a insalubridade/periculosidade.

        Resposta
  • Avatar
    28 de maio de 2019 em 16:44
    Permalink

    Boa tarde. Meu pai trabalhou por 24 anos e 8 meses como vigilante além de outros 10 anos em outras profissões e foi demitido aos 54 anos, teoricamente faltando 4 meses pra ele se aposentar pela aposentadoria especial. Tanto o sindicato quanto a empresa que ele trabalha não orientaram corretamente em relação aos seus direitos e por isso ele acabou solicitando o pedido de aposentadoria comum e recebeu um corte muito grande do fator previdenciário, qual seria a melhor forma de reverter essa situação?

    Ele pode entrar com processo por ter sido demitido faltando tão pouco tempo para aposentar de forma especial?
    Ele pode sacar os primeiros pagamentos da aposentadoria comum e entrar com pedido de revisão do valor convertendo os anos de trabalho insalubre pra reduzir o fator previdenciario?
    Um colega que entende um pouco disse que ele talvez tenha que deixar o dinheiro da aposentadoria lá e renunciar a ela para então pedir uma revisão mas ele está precisando muito desse dinheiro pois demoraram 9 meses pra sair a aposentadoria.
    Qual seria a melhor coisa a se fazer? Pode me indicar um advogado em Belo Horizonte?

    Resposta
    • Avatar
      31 de maio de 2019 em 21:08
      Permalink

      Olá Jonathan!
      Será necessário avaliar com mais cautela o caso do seu pai. Em muitos casos é possível pegar a aposentadoria atual (e já usar os valores) e pedir uma revisão de valores para então aumentar o valor da aposentadoria.
      No entanto precisa haver uma avaliação cautelosa do caso dele.
      Se quiser, entre em contato conosco através do link a seguir: http://lucastubino.rds.land/consultaprevidenciaria
      Nós estamos localizados em Campinas/SP, mas podemos atuar em processos aí em Belo Horizonte.
      Obrigado!

      Resposta
      • Avatar
        16 de novembro de 2019 em 13:00
        Permalink

        Bom dia tenho 23 anos e 11 meses como especial e 6 anos comum,e tenho 44 anos de idade qual seria a melhor opção

        Resposta
        • Denis Coltro
          5 de março de 2020 em 18:01
          Permalink

          Olá, tudo bem?

          Que prazer receber sua dúvida.

          Bom, a aposentadoria especial que me perguntou somente será concedida com as contribuições por pelo menos 25 anos.

          Deve ser 25 anos contribuídos com a exposição a insalubridade ou periculosidade.

          Se você não contribuiu esse tempo todo, e tem trabalhos comuns, pode converter de especial para comum até 13/11/2019.

          O fator de conversão será para o homem 40% e para a mulher 20%.

          Agora com a Reforma tem regras de transição:

          Art. 21. O segurado ou o servidor público federal que se tenha filiado ao Regime Geral de Previdência Social ou ingressado no serviço público em cargo efetivo até a data de entrada em vigor desta Emenda Constitucional cujas atividades tenham sido exercidas com efetiva exposição a agentes químicos, físicos e biológicos prejudiciais à saúde, ou associação desses agentes, vedada a caracterização por categoria profissional ou ocupação, desde que cumpridos, no caso do servidor, o tempo mínimo de 20 (vinte) anos de efetivo exercício no serviço público e de 5 (cinco) anos no cargo efetivo em que for concedida a aposentadoria, na forma dos arts. 57 e 58 da Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991, poderão aposentar-se quando o total da soma resultante da sua idade e do tempo de contribuição e o tempo de efetiva exposição forem, respectivamente, de:
          I – 66 (sessenta e seis) pontos e 15 (quinze) anos de efetiva exposição;
          II – 76 (setenta e seis) pontos e 20 (vinte) anos de efetiva exposição; e
          III – 86 (oitenta e seis) pontos e 25 (vinte e cinco) anos de efetiva exposição.

          Sugiro que busque o PPP no RH do local onde trabalha, para que consiga comprovar o tempo de trabalho com a insalubridade/periculosidade.

          Resposta
  • Avatar
    23 de junho de 2019 em 19:56
    Permalink

    boa noite me aposentei pela justiça federal e o juiz e concedeu 23 anos especiais e o resto comum e foi concedido aposentadoria por tempo de contribuição. so que tever uma empresa que o periodo nao foi apreciado pelo juiz pois o ppp estava incompleto tava com os ruidos abaixo e nao constava os agentes quimicos da grafica que trabalhei. pergunto agora consegui o ppp retificado com todos agentes quimicos inclusive o tolueno. trabalhei nessa empresa 2 e 4 meses agora quero transformar minha aposentadoria por tempo de contribuiçao em aposentadoria especial. posso pedir essa transformaçao.

    Resposta
    • Denis Coltro
      5 de março de 2020 em 18:03
      Permalink

      Olá, tudo bem?

      Que prazer receber sua dúvida.

      Bom, a aposentadoria especial que me perguntou somente será concedida com as contribuições por pelo menos 25 anos.

      Deve ser 25 anos contribuídos com a exposição a insalubridade ou periculosidade.

      Se você não contribuiu esse tempo todo, e tem trabalhos comuns, pode converter de especial para comum até 13/11/2019.

      O fator de conversão será para o homem 40% e para a mulher 20%.

      Agora com a Reforma tem regras de transição:

      Art. 21. O segurado ou o servidor público federal que se tenha filiado ao Regime Geral de Previdência Social ou ingressado no serviço público em cargo efetivo até a data de entrada em vigor desta Emenda Constitucional cujas atividades tenham sido exercidas com efetiva exposição a agentes químicos, físicos e biológicos prejudiciais à saúde, ou associação desses agentes, vedada a caracterização por categoria profissional ou ocupação, desde que cumpridos, no caso do servidor, o tempo mínimo de 20 (vinte) anos de efetivo exercício no serviço público e de 5 (cinco) anos no cargo efetivo em que for concedida a aposentadoria, na forma dos arts. 57 e 58 da Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991, poderão aposentar-se quando o total da soma resultante da sua idade e do tempo de contribuição e o tempo de efetiva exposição forem, respectivamente, de:
      I – 66 (sessenta e seis) pontos e 15 (quinze) anos de efetiva exposição;
      II – 76 (setenta e seis) pontos e 20 (vinte) anos de efetiva exposição; e
      III – 86 (oitenta e seis) pontos e 25 (vinte e cinco) anos de efetiva exposição.

      Resposta
  • Avatar
    2 de julho de 2019 em 01:18
    Permalink

    Saiu minha aposentadoria por tempo de contribuição o valor muito baixo. Porém tenho direito a especial com mais de 25 anos. Devo aceitar e pleitear a especial ? Ou perco o direito conforme o decreto 6208/07 no Art. 181-B do decreto 3048/99 ?

    Resposta
    • Denis Coltro
      5 de março de 2020 em 18:03
      Permalink

      Olá, tudo bem?

      Que prazer receber sua dúvida.

      Bom, a aposentadoria especial que me perguntou somente será concedida com as contribuições por pelo menos 25 anos.

      Deve ser 25 anos contribuídos com a exposição a insalubridade ou periculosidade.

      Se você não contribuiu esse tempo todo, e tem trabalhos comuns, pode converter de especial para comum até 13/11/2019.

      O fator de conversão será para o homem 40% e para a mulher 20%.

      Agora com a Reforma tem regras de transição:

      Art. 21. O segurado ou o servidor público federal que se tenha filiado ao Regime Geral de Previdência Social ou ingressado no serviço público em cargo efetivo até a data de entrada em vigor desta Emenda Constitucional cujas atividades tenham sido exercidas com efetiva exposição a agentes químicos, físicos e biológicos prejudiciais à saúde, ou associação desses agentes, vedada a caracterização por categoria profissional ou ocupação, desde que cumpridos, no caso do servidor, o tempo mínimo de 20 (vinte) anos de efetivo exercício no serviço público e de 5 (cinco) anos no cargo efetivo em que for concedida a aposentadoria, na forma dos arts. 57 e 58 da Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991, poderão aposentar-se quando o total da soma resultante da sua idade e do tempo de contribuição e o tempo de efetiva exposição forem, respectivamente, de:
      I – 66 (sessenta e seis) pontos e 15 (quinze) anos de efetiva exposição;
      II – 76 (setenta e seis) pontos e 20 (vinte) anos de efetiva exposição; e
      III – 86 (oitenta e seis) pontos e 25 (vinte e cinco) anos de efetiva exposição.

      Sugiro que busque o PPP no RH do local onde trabalha, para que consiga comprovar o tempo de trabalho com a insalubridade/periculosidade.

      Resposta
  • Avatar
    6 de julho de 2019 em 00:21
    Permalink

    Enviei uma mensagem para voçes sobre minha situação em relação aposentadoria e minha condição de trabalho na empresa atual, e não tive resposta.
    continuo aguardando.

    Resposta
    • Denis Coltro
      5 de março de 2020 em 18:04
      Permalink

      Olá, tudo bem?

      Que prazer receber sua dúvida.

      Bom, a aposentadoria especial que me perguntou somente será concedida com as contribuições por pelo menos 25 anos.

      Deve ser 25 anos contribuídos com a exposição a insalubridade ou periculosidade.

      Se você não contribuiu esse tempo todo, e tem trabalhos comuns, pode converter de especial para comum até 13/11/2019.

      O fator de conversão será para o homem 40% e para a mulher 20%.

      Agora com a Reforma tem regras de transição:

      Art. 21. O segurado ou o servidor público federal que se tenha filiado ao Regime Geral de Previdência Social ou ingressado no serviço público em cargo efetivo até a data de entrada em vigor desta Emenda Constitucional cujas atividades tenham sido exercidas com efetiva exposição a agentes químicos, físicos e biológicos prejudiciais à saúde, ou associação desses agentes, vedada a caracterização por categoria profissional ou ocupação, desde que cumpridos, no caso do servidor, o tempo mínimo de 20 (vinte) anos de efetivo exercício no serviço público e de 5 (cinco) anos no cargo efetivo em que for concedida a aposentadoria, na forma dos arts. 57 e 58 da Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991, poderão aposentar-se quando o total da soma resultante da sua idade e do tempo de contribuição e o tempo de efetiva exposição forem, respectivamente, de:
      I – 66 (sessenta e seis) pontos e 15 (quinze) anos de efetiva exposição;
      II – 76 (setenta e seis) pontos e 20 (vinte) anos de efetiva exposição; e
      III – 86 (oitenta e seis) pontos e 25 (vinte e cinco) anos de efetiva exposição.

      Sugiro que busque o PPP no RH do local onde trabalha, para que consiga comprovar o tempo de trabalho com a insalubridade/periculosidade.

      Resposta
  • Avatar
    9 de julho de 2019 em 11:10
    Permalink

    Boa tarde Dr.!
    Tenho um caso de uma pessoa que já possui 57 anos de idade, e 36 anos e 8 meses de contribuição. Trabalhou por 3 anos e 4 meses sob insalubridade. Gostaria de saber se na situação de uma aposentadoria por tempo de contribuição, o tempo trabalhado em insalubridade geraria algum aumento no valor do salário benefício.

    Att.

    Resposta
    • Denis Coltro
      5 de março de 2020 em 18:03
      Permalink

      Olá, tudo bem?

      Que prazer receber sua dúvida.

      Bom, a aposentadoria especial que me perguntou somente será concedida com as contribuições por pelo menos 25 anos.

      Deve ser 25 anos contribuídos com a exposição a insalubridade ou periculosidade.

      Se você não contribuiu esse tempo todo, e tem trabalhos comuns, pode converter de especial para comum até 13/11/2019.

      O fator de conversão será para o homem 40% e para a mulher 20%.

      Agora com a Reforma tem regras de transição:

      Art. 21. O segurado ou o servidor público federal que se tenha filiado ao Regime Geral de Previdência Social ou ingressado no serviço público em cargo efetivo até a data de entrada em vigor desta Emenda Constitucional cujas atividades tenham sido exercidas com efetiva exposição a agentes químicos, físicos e biológicos prejudiciais à saúde, ou associação desses agentes, vedada a caracterização por categoria profissional ou ocupação, desde que cumpridos, no caso do servidor, o tempo mínimo de 20 (vinte) anos de efetivo exercício no serviço público e de 5 (cinco) anos no cargo efetivo em que for concedida a aposentadoria, na forma dos arts. 57 e 58 da Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991, poderão aposentar-se quando o total da soma resultante da sua idade e do tempo de contribuição e o tempo de efetiva exposição forem, respectivamente, de:
      I – 66 (sessenta e seis) pontos e 15 (quinze) anos de efetiva exposição;
      II – 76 (setenta e seis) pontos e 20 (vinte) anos de efetiva exposição; e
      III – 86 (oitenta e seis) pontos e 25 (vinte e cinco) anos de efetiva exposição.

      Sugiro que busque o PPP no RH do local onde trabalha, para que consiga comprovar o tempo de trabalho com a insalubridade/periculosidade.

      Resposta
  • Avatar
    31 de julho de 2019 em 15:05
    Permalink

    Dr. Lucastubino Boa Tarde me aposentei por tempo de contribuição mas na sentença tem o reconhecimento de 26 anos de tempo de especial reconhecido pelo TRF3 minha duvida é posso pedir revisão de melhor beneficio ou mais vantajoso ou seja Aposentadoria Especial sem o fator previdenciário se puder me responder ficarei muito agradecido Obrigado.

    Resposta
    • Denis Coltro
      5 de março de 2020 em 18:03
      Permalink

      Olá, tudo bem?

      Que prazer receber sua dúvida.

      Bom, a aposentadoria especial que me perguntou somente será concedida com as contribuições por pelo menos 25 anos.

      Deve ser 25 anos contribuídos com a exposição a insalubridade ou periculosidade.

      Se você não contribuiu esse tempo todo, e tem trabalhos comuns, pode converter de especial para comum até 13/11/2019.

      O fator de conversão será para o homem 40% e para a mulher 20%.

      Agora com a Reforma tem regras de transição:

      Art. 21. O segurado ou o servidor público federal que se tenha filiado ao Regime Geral de Previdência Social ou ingressado no serviço público em cargo efetivo até a data de entrada em vigor desta Emenda Constitucional cujas atividades tenham sido exercidas com efetiva exposição a agentes químicos, físicos e biológicos prejudiciais à saúde, ou associação desses agentes, vedada a caracterização por categoria profissional ou ocupação, desde que cumpridos, no caso do servidor, o tempo mínimo de 20 (vinte) anos de efetivo exercício no serviço público e de 5 (cinco) anos no cargo efetivo em que for concedida a aposentadoria, na forma dos arts. 57 e 58 da Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991, poderão aposentar-se quando o total da soma resultante da sua idade e do tempo de contribuição e o tempo de efetiva exposição forem, respectivamente, de:
      I – 66 (sessenta e seis) pontos e 15 (quinze) anos de efetiva exposição;
      II – 76 (setenta e seis) pontos e 20 (vinte) anos de efetiva exposição; e
      III – 86 (oitenta e seis) pontos e 25 (vinte e cinco) anos de efetiva exposição.

      Sugiro que busque o PPP no RH do local onde trabalha, para que consiga comprovar o tempo de trabalho com a insalubridade/periculosidade.

      Resposta
  • Avatar
    10 de agosto de 2019 em 13:53
    Permalink

    Boa tarde, meu marido tem 25 anos e 7 meses de contribuição, tem 23 anos 2 meses de insalubri, mais tem 2 anose 5 meses sem insalubre, ele pode dar entrada na cimum e depois pedir a revisão?

    Resposta
    • Denis Coltro
      5 de março de 2020 em 18:04
      Permalink

      Olá, tudo bem?

      Que prazer receber sua dúvida.

      Bom, a aposentadoria especial que me perguntou somente será concedida com as contribuições por pelo menos 25 anos.

      Deve ser 25 anos contribuídos com a exposição a insalubridade ou periculosidade.

      Se você não contribuiu esse tempo todo, e tem trabalhos comuns, pode converter de especial para comum até 13/11/2019.

      O fator de conversão será para o homem 40% e para a mulher 20%.

      Agora com a Reforma tem regras de transição:

      Art. 21. O segurado ou o servidor público federal que se tenha filiado ao Regime Geral de Previdência Social ou ingressado no serviço público em cargo efetivo até a data de entrada em vigor desta Emenda Constitucional cujas atividades tenham sido exercidas com efetiva exposição a agentes químicos, físicos e biológicos prejudiciais à saúde, ou associação desses agentes, vedada a caracterização por categoria profissional ou ocupação, desde que cumpridos, no caso do servidor, o tempo mínimo de 20 (vinte) anos de efetivo exercício no serviço público e de 5 (cinco) anos no cargo efetivo em que for concedida a aposentadoria, na forma dos arts. 57 e 58 da Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991, poderão aposentar-se quando o total da soma resultante da sua idade e do tempo de contribuição e o tempo de efetiva exposição forem, respectivamente, de:
      I – 66 (sessenta e seis) pontos e 15 (quinze) anos de efetiva exposição;
      II – 76 (setenta e seis) pontos e 20 (vinte) anos de efetiva exposição; e
      III – 86 (oitenta e seis) pontos e 25 (vinte e cinco) anos de efetiva exposição.

      Sugiro que busque o PPP no RH do local onde trabalha, para que consiga comprovar o tempo de trabalho com a insalubridade/periculosidade.

      Resposta
  • Avatar
    25 de agosto de 2019 em 10:03
    Permalink

    trabalho a 32 anos em uma mineradora na área de ruídos faz 32 anos direto no mesmo setor
    dei entrada na aposentadoria especial foi negado pelo inss então foi recorrido e o juiz con-
    verteu em aposentadoria por tempo de serviço e o fator entrou, posso pedir novamente a
    aposentadoria especial e não deixar de receber a que ja tenho enquanto estiver em pedido?
    caso conseguindo a especial eu perco a por tempo de serviço?
    Como é esse processo me explica por favor.

    Resposta
    • Denis Coltro
      5 de março de 2020 em 18:02
      Permalink

      Olá, tudo bem?

      Que prazer receber sua dúvida.

      Bom, a aposentadoria especial que me perguntou somente será concedida com as contribuições por pelo menos 25 anos.

      Deve ser 25 anos contribuídos com a exposição a insalubridade ou periculosidade.

      Se você não contribuiu esse tempo todo, e tem trabalhos comuns, pode converter de especial para comum até 13/11/2019.

      O fator de conversão será para o homem 40% e para a mulher 20%.

      Agora com a Reforma tem regras de transição:

      Art. 21. O segurado ou o servidor público federal que se tenha filiado ao Regime Geral de Previdência Social ou ingressado no serviço público em cargo efetivo até a data de entrada em vigor desta Emenda Constitucional cujas atividades tenham sido exercidas com efetiva exposição a agentes químicos, físicos e biológicos prejudiciais à saúde, ou associação desses agentes, vedada a caracterização por categoria profissional ou ocupação, desde que cumpridos, no caso do servidor, o tempo mínimo de 20 (vinte) anos de efetivo exercício no serviço público e de 5 (cinco) anos no cargo efetivo em que for concedida a aposentadoria, na forma dos arts. 57 e 58 da Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991, poderão aposentar-se quando o total da soma resultante da sua idade e do tempo de contribuição e o tempo de efetiva exposição forem, respectivamente, de:
      I – 66 (sessenta e seis) pontos e 15 (quinze) anos de efetiva exposição;
      II – 76 (setenta e seis) pontos e 20 (vinte) anos de efetiva exposição; e
      III – 86 (oitenta e seis) pontos e 25 (vinte e cinco) anos de efetiva exposição.

      Sugiro que busque o PPP no RH do local onde trabalha, para que consiga comprovar o tempo de trabalho com a insalubridade/periculosidade.

      Resposta
  • Avatar
    11 de setembro de 2019 em 17:01
    Permalink

    Fui Policial pelo estado de Sao Paulo, por 20 anos, e depois 5 anos trabalhando offshore, ainda nao me aposentei, tenho direito a essa aposentadoria especial devido aos anos de Policial?

    Resposta
    • Denis Coltro
      5 de março de 2020 em 18:02
      Permalink

      Olá, tudo bem?

      Que prazer receber sua dúvida.

      Bom, a aposentadoria especial que me perguntou somente será concedida com as contribuições por pelo menos 25 anos.

      Deve ser 25 anos contribuídos com a exposição a insalubridade ou periculosidade.

      Se você não contribuiu esse tempo todo, e tem trabalhos comuns, pode converter de especial para comum até 13/11/2019.

      O fator de conversão será para o homem 40% e para a mulher 20%.

      Agora com a Reforma tem regras de transição:

      Art. 21. O segurado ou o servidor público federal que se tenha filiado ao Regime Geral de Previdência Social ou ingressado no serviço público em cargo efetivo até a data de entrada em vigor desta Emenda Constitucional cujas atividades tenham sido exercidas com efetiva exposição a agentes químicos, físicos e biológicos prejudiciais à saúde, ou associação desses agentes, vedada a caracterização por categoria profissional ou ocupação, desde que cumpridos, no caso do servidor, o tempo mínimo de 20 (vinte) anos de efetivo exercício no serviço público e de 5 (cinco) anos no cargo efetivo em que for concedida a aposentadoria, na forma dos arts. 57 e 58 da Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991, poderão aposentar-se quando o total da soma resultante da sua idade e do tempo de contribuição e o tempo de efetiva exposição forem, respectivamente, de:
      I – 66 (sessenta e seis) pontos e 15 (quinze) anos de efetiva exposição;
      II – 76 (setenta e seis) pontos e 20 (vinte) anos de efetiva exposição; e
      III – 86 (oitenta e seis) pontos e 25 (vinte e cinco) anos de efetiva exposição.

      Sugiro que busque o PPP no RH do local onde trabalha, para que consiga comprovar o tempo de trabalho com a insalubridade/periculosidade.

      Resposta
  • Avatar
    15 de setembro de 2019 em 01:44
    Permalink

    Boa noite
    Meu nome é Célio.
    Tenho 11 anos de vigilante e 7 de trabalho rural e mas 5 de trabalho comun, esse 7 mais os 5 anos, eu posso transformar esses 12 anos em tempo especial.
    Atenciosamente

    Resposta
    • Denis Coltro
      5 de março de 2020 em 18:02
      Permalink

      Olá, tudo bem?

      Que prazer receber sua dúvida.

      Bom, a aposentadoria especial que me perguntou somente será concedida com as contribuições por pelo menos 25 anos.

      Deve ser 25 anos contribuídos com a exposição a insalubridade ou periculosidade.

      Se você não contribuiu esse tempo todo, e tem trabalhos comuns, pode converter de especial para comum até 13/11/2019.

      O fator de conversão será para o homem 40% e para a mulher 20%.

      Agora com a Reforma tem regras de transição:

      Art. 21. O segurado ou o servidor público federal que se tenha filiado ao Regime Geral de Previdência Social ou ingressado no serviço público em cargo efetivo até a data de entrada em vigor desta Emenda Constitucional cujas atividades tenham sido exercidas com efetiva exposição a agentes químicos, físicos e biológicos prejudiciais à saúde, ou associação desses agentes, vedada a caracterização por categoria profissional ou ocupação, desde que cumpridos, no caso do servidor, o tempo mínimo de 20 (vinte) anos de efetivo exercício no serviço público e de 5 (cinco) anos no cargo efetivo em que for concedida a aposentadoria, na forma dos arts. 57 e 58 da Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991, poderão aposentar-se quando o total da soma resultante da sua idade e do tempo de contribuição e o tempo de efetiva exposição forem, respectivamente, de:
      I – 66 (sessenta e seis) pontos e 15 (quinze) anos de efetiva exposição;
      II – 76 (setenta e seis) pontos e 20 (vinte) anos de efetiva exposição; e
      III – 86 (oitenta e seis) pontos e 25 (vinte e cinco) anos de efetiva exposição.

      Sugiro que busque o PPP no RH do local onde trabalha, para que consiga comprovar o tempo de trabalho com a insalubridade/periculosidade.

      Resposta
  • Avatar
    11 de novembro de 2019 em 18:29
    Permalink

    Tenho tempo de contribuição pra me aposentar, tendo trabalhado 22 anos em regime especial e o restante comum, mas continuo trabalhando em condições insalubres. No futuro eu vou poder converter toda minha aposentadoria em especial?

    Resposta
    • Denis Coltro
      5 de março de 2020 em 18:02
      Permalink

      Olá, tudo bem?

      Que prazer receber sua dúvida.

      Bom, a aposentadoria especial que me perguntou somente será concedida com as contribuições por pelo menos 25 anos.

      Deve ser 25 anos contribuídos com a exposição a insalubridade ou periculosidade.

      Se você não contribuiu esse tempo todo, e tem trabalhos comuns, pode converter de especial para comum até 13/11/2019.

      O fator de conversão será para o homem 40% e para a mulher 20%.

      Agora com a Reforma tem regras de transição:

      Art. 21. O segurado ou o servidor público federal que se tenha filiado ao Regime Geral de Previdência Social ou ingressado no serviço público em cargo efetivo até a data de entrada em vigor desta Emenda Constitucional cujas atividades tenham sido exercidas com efetiva exposição a agentes químicos, físicos e biológicos prejudiciais à saúde, ou associação desses agentes, vedada a caracterização por categoria profissional ou ocupação, desde que cumpridos, no caso do servidor, o tempo mínimo de 20 (vinte) anos de efetivo exercício no serviço público e de 5 (cinco) anos no cargo efetivo em que for concedida a aposentadoria, na forma dos arts. 57 e 58 da Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991, poderão aposentar-se quando o total da soma resultante da sua idade e do tempo de contribuição e o tempo de efetiva exposição forem, respectivamente, de:
      I – 66 (sessenta e seis) pontos e 15 (quinze) anos de efetiva exposição;
      II – 76 (setenta e seis) pontos e 20 (vinte) anos de efetiva exposição; e
      III – 86 (oitenta e seis) pontos e 25 (vinte e cinco) anos de efetiva exposição.

      Sugiro que busque o PPP no RH do local onde trabalha, para que consiga comprovar o tempo de trabalho com a insalubridade/periculosidade.

      Resposta
  • Avatar
    10 de janeiro de 2020 em 15:32
    Permalink

    Boa tarde.
    O meu pai trabalha como vigilante e já conseguiu se aposentar normal pois não conseguiu a especial. Passou 2 anos do pedido da aposentadoria dele, será que ele consegue a especial agora?

    Resposta
    • Denis Coltro
      5 de março de 2020 em 17:58
      Permalink

      Olá, tudo bem?

      Que prazer receber sua dúvida.

      Bom, a aposentadoria especial que me perguntou somente será concedida com as contribuições por pelo menos 25 anos.

      Deve ser 25 anos contribuídos com a exposição a insalubridade ou periculosidade.

      Se você não contribuiu esse tempo todo, e tem trabalhos comuns, pode converter de especial para comum até 13/11/2019.

      O fator de conversão será para o homem 40% e para a mulher 20%.

      Agora com a Reforma tem regras de transição:

      Art. 21. O segurado ou o servidor público federal que se tenha filiado ao Regime Geral de Previdência Social ou ingressado no serviço público em cargo efetivo até a data de entrada em vigor desta Emenda Constitucional cujas atividades tenham sido exercidas com efetiva exposição a agentes químicos, físicos e biológicos prejudiciais à saúde, ou associação desses agentes, vedada a caracterização por categoria profissional ou ocupação, desde que cumpridos, no caso do servidor, o tempo mínimo de 20 (vinte) anos de efetivo exercício no serviço público e de 5 (cinco) anos no cargo efetivo em que for concedida a aposentadoria, na forma dos arts. 57 e 58 da Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991, poderão aposentar-se quando o total da soma resultante da sua idade e do tempo de contribuição e o tempo de efetiva exposição forem, respectivamente, de:
      I – 66 (sessenta e seis) pontos e 15 (quinze) anos de efetiva exposição;
      II – 76 (setenta e seis) pontos e 20 (vinte) anos de efetiva exposição; e
      III – 86 (oitenta e seis) pontos e 25 (vinte e cinco) anos de efetiva exposição.

      Sugiro que busque o PPP no RH do local onde trabalha, para que consiga comprovar o tempo de trabalho com a insalubridade/periculosidade.

      Resposta
  • Avatar
    1 de fevereiro de 2020 em 23:25
    Permalink

    Oiii boa noite gostaria de saber se eu tenho direito a aposentadoria especial eu já sou aposentada mas com aposentadoria comum, trabalhei 22 anos na área da enfermagem e 7 anos como atendente no período tinha 47 anos aposentei em 20

    Resposta
    • Denis Coltro
      5 de março de 2020 em 17:56
      Permalink

      Olá, tudo bem?

      Que prazer receber sua dúvida.

      Bom, a aposentadoria especial que me perguntou somente será concedida com as contribuições por pelo menos 25 anos.

      Deve ser 25 anos contribuídos com a exposição a insalubridade ou periculosidade.

      Se você não contribuiu esse tempo todo, e tem trabalhos comuns, pode converter de especial para comum até 13/11/2019.

      O fator de conversão será para o homem 40% e para a mulher 20%.

      Agora com a Reforma tem regras de transição:

      Art. 21. O segurado ou o servidor público federal que se tenha filiado ao Regime Geral de Previdência Social ou ingressado no serviço público em cargo efetivo até a data de entrada em vigor desta Emenda Constitucional cujas atividades tenham sido exercidas com efetiva exposição a agentes químicos, físicos e biológicos prejudiciais à saúde, ou associação desses agentes, vedada a caracterização por categoria profissional ou ocupação, desde que cumpridos, no caso do servidor, o tempo mínimo de 20 (vinte) anos de efetivo exercício no serviço público e de 5 (cinco) anos no cargo efetivo em que for concedida a aposentadoria, na forma dos arts. 57 e 58 da Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991, poderão aposentar-se quando o total da soma resultante da sua idade e do tempo de contribuição e o tempo de efetiva exposição forem, respectivamente, de:
      I – 66 (sessenta e seis) pontos e 15 (quinze) anos de efetiva exposição;
      II – 76 (setenta e seis) pontos e 20 (vinte) anos de efetiva exposição; e
      III – 86 (oitenta e seis) pontos e 25 (vinte e cinco) anos de efetiva exposição.

      Sugiro que busque o PPP no RH do local onde trabalha, para que consiga comprovar o tempo de trabalho com a insalubridade/periculosidade.

      Resposta
  • Avatar
    4 de fevereiro de 2020 em 13:03
    Permalink

    meu nome é Joel trabalho como vigilante desde 1987 tive que aposentar com aposentadoria comum pois eu não conseguir pegar os ppp de duas empresas mais antigas informo que ainda contínuo trabalhando na mesma área de serviço como vigilante gostaria de saber com o dtr se eu posso entrar com uma revisão mudando a comum para especial o que fazer?

    Resposta
    • Denis Coltro
      12 de fevereiro de 2020 em 16:09
      Permalink

      Sr. Joel, pode entrar sim.

      Mesmo que esteja recebendo esse benefício, terá direito se comprovar a exposição aos agentes prejudiciais a sua integridade física.

      Então, pode ingressar com ação judicial .

      um abraço.

      Resposta
  • Avatar
    28 de fevereiro de 2020 em 21:49
    Permalink

    Dr. Lucas, Boa Noite!

    Tenho 24 anos e meio de especial em área elétrica (34,3 anos convertidos) e 9 anos de comum que somadas resulta em 43,3 anos. Minha dúvida é: Se eu fizer o requerimento por soma de idade + tempo de contribuição consigo pegar 100% de minha média salarial que exige 40 anos no mínimo, ou serão considerados, pelo novo cálculo do benefício, os tempos (24,5 + 9 = 33,5) sendo o benefício equivalente à 60% (22 anos) + 27% (13,5 x 2) totalizando 87%?

    Grato pela Atenção!

    Valdeci Silva

    Resposta
    • Denis Coltro
      5 de março de 2020 em 17:56
      Permalink

      Olá, tudo bem?

      Que prazer receber sua dúvida.

      Bom, a aposentadoria especial que me perguntou somente será concedida com as contribuições por pelo menos 25 anos.

      Deve ser 25 anos contribuídos com a exposição a insalubridade ou periculosidade.

      Se você não contribuiu esse tempo todo, e tem trabalhos comuns, pode converter de especial para comum até 13/11/2019.

      O fator de conversão será para o homem 40% e para a mulher 20%.

      Agora com a Reforma tem regras de transição:

      Art. 21. O segurado ou o servidor público federal que se tenha filiado ao Regime Geral de Previdência Social ou ingressado no serviço público em cargo efetivo até a data de entrada em vigor desta Emenda Constitucional cujas atividades tenham sido exercidas com efetiva exposição a agentes químicos, físicos e biológicos prejudiciais à saúde, ou associação desses agentes, vedada a caracterização por categoria profissional ou ocupação, desde que cumpridos, no caso do servidor, o tempo mínimo de 20 (vinte) anos de efetivo exercício no serviço público e de 5 (cinco) anos no cargo efetivo em que for concedida a aposentadoria, na forma dos arts. 57 e 58 da Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991, poderão aposentar-se quando o total da soma resultante da sua idade e do tempo de contribuição e o tempo de efetiva exposição forem, respectivamente, de:
      I – 66 (sessenta e seis) pontos e 15 (quinze) anos de efetiva exposição;
      II – 76 (setenta e seis) pontos e 20 (vinte) anos de efetiva exposição; e
      III – 86 (oitenta e seis) pontos e 25 (vinte e cinco) anos de efetiva exposição.

      Sugiro que busque o PPP no RH do local onde trabalha, para que consiga comprovar o tempo de trabalho com a insalubridade/periculosidade.

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *