Compartilhar nas Redes Sociais

Como dar entrada na aposentadoria especial do profissional da área elétrica?

 

Primeiramente, para dar entrada na aposentadoria especial, é necessário agendar um atendimento no INSS. Este agendamento deve ser feito pelo Prevfone (telefone 135) ou pelo site do INSS.

 

É importante esclarecer que o pedido na agência do INSS não precisa ser feito por advogado. Você pode ir sozinho. No entanto, recomendamos que o acompanhamento por advogado pode lhe trazer benefícios. Por exemplo, o advogado sabe o melhor momento de fazer o pedido, além de estar atento à eventuais peculiaridades do seu caso.

 

Uma dica prática: após três tentativas, caso você não consiga fazer o agendamento pelo telefone nem pelo site, procure diretamente a agência do INSS para fazer o agendamento pessoal. Além disso, é possível tentar fazer o agendamento em outra agência do INSS próxima.

 

(o texto continua após a imagem)

Como dar entrada na aposentadoria
Como dar entrada na aposentadoria

 

Em seguida, no dia agendado, é necessário levar toda a sua documentação para que o INSS faça a análise. É importante levar cópia e original de todos os documentos (tantos os documentos pessoais como aqueles que comprovam o tempo de serviço).

Apresentar os documentos corretos é essencial

 

Os documentos indispensáveis para a concessão da aposentadoria especial são:

– documentos pessoais (RG e CPF)

– comprovante de endereço atualizado

– Carteiras de Trabalho

– Carnês de Contribuição

– PPP (Perfil Profissiográfico Previdenciário) que indique a exposição a tensão elétrica acima de 250 Volts

 

Acerca do PPP, veja nosso texto Os Segredos da Aposentadoria Especial na Área Elétrica.

 

Além disso, é importante levar qualquer outro documento que possa comprovar a exposição a eletricidade. Como exemplos, podemos citar:

– Holerites que comprovam o recebimento de adicional de periculosidade

– Laudos periciais feitos em ações trabalhistas que comprovem a exposição a eletricidade

– PPP de colegas de trabalho que faziam a mesma função na mesma empresa (é possível também apresentar PPP de outros trabalhadores que exerciam a mesma função em outras empresas, contudo, esta prova tem menos força do que as demais)

– CAT (Comunicação de Acidente do Trabalho) no caso de já ter sofrido algum acidente na empresa relacionado com a eletricidade

– Certificados de cursos na área elétrica pagos pela empresa

– Qualquer outro documento que comprove a atuação na área elétrica

E se o INSS me apresentar uma Carta de Exigências?

 

Ainda que levando todos esses documentos, é possível que o INSS emita uma Carta de Exigências (que é uma relação de documentos que a Previdência entende que ainda é necessária para a avaliação do seu caso). Se acaso a Carta de Exigência for emitida, é muito importante que os documentos sejam providenciados e entregues para o INSS dentro do prazo.

 

Entretanto, se as exigências do INSS não forem cumpridas, a Aposentadoria Especial não será concedida e um novo pedido terá que ser feito.

 

Logo após, o INSS tem um prazo de 45 dias para decidir o seu caso. Em seguida, a decisão do INSS será informada pelos Correios e também pode ser consultada no site da Previdência.

 

Se acaso o INSS não lhe conceder a Aposentadoria Especial, você deve procurar um advogado especialista na área previdenciária.

 

Principalmente se estiver sem advogado, é importante saber como dar entrada na aposentadoria especial. Mesmo que, futuramente, seja necessário contratar um advogado, a documentação correta já terá sido apresentada ao INSS.

 

Para saber mais sobre a Aposentadoria Especial e o tempo trabalhado com periculosidade e insalubridade, clique na imagem abaixo:

 

 

COMO DAR ENTRADA NA APOSENTADORIA ESPECIAL

12 ideias sobre “COMO DAR ENTRADA NA APOSENTADORIA ESPECIAL

  • Avatar
    19 de setembro de 2018 em 22:28
    Permalink

    Olá boa noite.
    Comecei a trabalhar como Eletricista em uma empresa de prestação de serviço em casas, chácaras, sítios fazendas, comercios, pequenas, médias e grandes industrias.
    Trabalhei por tres anos e a empresa faliu.
    Na era Color, começei à trabalhar por conta, adquiri o Alvará pela Prefeitura, e me tornei Eletricista Aotônomo desde essa época, pagando o carnê do INSS POR CONTA, MAS, COM ALGUNS INTERVALOS SEM PAGAR DEVIDO A FALTA DE GRANA.. Em 87, prestei concurso Publico e trabalhei por contrato de 1 ano na Prefeitura de minha cidade, nas Obras do CDHU. Depois desse período, continuei à trabalhar até nos dia de hoje com autônomo.
    Gostaria de saber se tenho direito a esta Aposentadoria Especial???????????

    Abraços.

    Resposta
  • Avatar
    13 de dezembro de 2018 em 12:39
    Permalink

    Minha aposentadoria especial foi negada pelo INSS dei entrada com o advogado e foi negado de novo pelo juiz, o advogado ainda pode recorrer?

    Resposta
    • Avatar
      17 de dezembro de 2018 em 19:00
      Permalink

      Olá Mercia, existem decisões que podem ter recursos e outras que não podem. Assim, no seu caso, recomendo que converse com o seu advogado para que ele verifique a possibilidade de recorrer no seu caso.

      Resposta
  • Avatar
    25 de fevereiro de 2019 em 15:32
    Permalink

    Boa tarde
    Sou funcionário público de 89 janeiro, trabalhando com material insalubre como T. CRUzi
    Lechimaniose , Material ionizante, radioativo, fui no Dep. pessoal pedi meu PPP, eles estão criando muita dificuldade para me dar esse documento, não querem abrir processo, como devo proceder?
    eneas_br2000@yahoo.com.br

    Resposta
    • Avatar
      26 de fevereiro de 2019 em 19:53
      Permalink

      Olá Eneas.
      Os empregadores são obrigados a fornecer o PPP.
      Inicialmente, faça uma notificação por escrito. Pode ser por telegrama ou email. Se isso não resolver, verifique se há alguma Ouvidoria responsável por este órgão público.
      Se ainda isso não resolver, recomendo que procure um advogado para tomar as medidas judiciais cabíveis.
      Se precisar, estamos à disposição.
      Boa sorte.

      Resposta
  • Avatar
    25 de fevereiro de 2019 em 23:17
    Permalink

    Boa noite!Tenho 21 anos de vigilante e 5 de outros trabalhos será que já posso me aposentar na especial?

    Resposta
    • Avatar
      26 de fevereiro de 2019 em 18:21
      Permalink

      Olá Carlos.
      Você está perto da aposentadoria.
      Se considerarmos que você tem 21 anos exatos de vigilante e 5 anos exatos em outros trabalhos, você já tem mais de 34 anos na sua contagem (considerando a coonversão). Portanto, você tem que torcer para a Reforma da Previdência não ser aprovada ou demorar até ser aprovada (até você conseguir atingir os 35 anos de contribuição).
      Se tiver interesse, entre em contato conosco: http://lucastubino.rds.land/consultaprevidenciaria

      Resposta
  • Avatar
    22 de março de 2019 em 18:36
    Permalink

    Sou frentista e estão me dizendo que o INSS não está mais contando PERICULOSIDADE para o adicional de 40% para aposentadoria, a menos que entre na Justiça. Afinal, PERICULOSIDADE conta ou não conta na hora de aposentar???

    Resposta
    • Avatar
      25 de março de 2019 em 01:32
      Permalink

      Olá Mário!
      Realmente o INSS não considera mais a periculosidade. Entretanto, a Justiça tem reconhecido esse direito inclusive nos casos de periculosidade.
      Se tiver interesse em expor melhor o seu caso, nos mande detalhes do seu caso através do link abaixo (neste link você pode expor o seu caso com maior grau de sigilo):
      http://lucastubino.rds.land/consultaprevidenciaria
      Um abraço!!

      Resposta
  • Avatar
    17 de abril de 2019 em 17:30
    Permalink

    Se a pessoa fizer parte de RPPS municipal, poderá requerer ao INSS? Se não, onde poderá ser requerido esse benefício?

    Resposta
    • Avatar
      19 de abril de 2019 em 15:39
      Permalink

      Olá Suzani!
      Se faz parte do RPPS municipal, deverá pedir perante a própria administração municipal.
      Poderá também fazer um pedido de CTC – Certidão de Tempo de Contribuição – perante o Município e averbar esse tempo no INSS. Neste caso, o pedido será feito perante o INSS.

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *